2.12.09

tudo que você poderia sempre ter querido saber de mim

eu fumo, não pretendo parar de fumar. depois de três meses de convívio eu passo a ser extremamente previsível e, por isso, fico chata. eu trabalho muito, mas morro de preguiça. adoro dias de ócio. gosto de vodka boa e bebo pelo gosto, não para ficar bêbada. gosto de coisas singulares que não agradam à maioria da população, música, bebida, literatura. comida não, me alimento basicamente de pão com alguma fonte de proteína no meio e maionese e mostarda. fico anos sem comer frutas. me alimento uma vez ao dia. compulsiono aos fins de semana. tenho muito mau humor ao acordar, tirando isso, só tenho mau humor se houver a combinação de calor e sono. sou aberta ao diálogo e à mudanças, por mais que eu ame a rotina. não hesito em cortar qualquer pessoa que eu já tive qualquer afeição da minha vida quando necessário, me acostumo fácil à ausências. quando falando de namoros, o que me fode é o ego, sempre. meu ego já foi um monstro mitológico que poderia devorar a tudo e todos, ele abaixou um pouco, continua sendo maior do que o da maioria da população, entretanto. sou inteligente e acho que a minha inteligência é a única coisa decente em mim, me acho feia, gorda e idiota. me acho mais inteligente que a maioria da população mundial, por mais que eu tente achar que minha inteligência é mediana. pessoas que oscilam entre a idiotice e complexidade de pensamentos e filosofias extremas costumam me atrair um bocado. falo palavrões pra caralho. sou fútil. não sigo moda e acho o cúmulo pagar caro por roupas. só sou consumista com aparelhos que despertam meu interesse, como fones de ouvido e óculos. não me importo em dar presentes para todos que estão no meu convívio íntimo, por mais que eu saiba que eles algum dia sairão da minha vida ou serão totalmente escrotos e devidamente cortados por mim. gosto de cachorros. não uso drogas ilícitas e faço da literatura uma droga maravilhosa. adoro quando pego uma saga em série e leio sem parar até terminar, durante o período você é transportado para aquela dimensão viajada e sai da vida real. sou autodestrutiva, fumo porque eu gosto e faz mal, me alimento mau porque é gostoso e faz mal. não quero viver para sempre e tenho horror a quem diz que quer viver para sempre. oscilo entre depressão crônica e distimia. acho que algum dia isso poderá evoluir para algo mais sério mas tenho muita preguiça para ir a algum psicólogo/quiatra para eles me falarem exatamente o que eu já sei. apesar disso acho que poderia fazer bom uso de remédios (misturados ao álcool dá barato). não sou arrogante. respeito a todos e acho que a falta de respeito é o maior problema do mundo como um todo. não gosto de baladas nem de pessoas de baladas. não gosto de pessoas, na verdade. gostaria de ver o mundo acabando sentada numa colina e esperando chegar a minha vez fumando um cigarro. não dou valor algum à vida. não costumo cometer o mesmo erro duas vezes. ainda quero chegar o mais próximo da perfeição que possa ser possivelmente alcançado por algum ser humano. tenho necessidade de me provar melhor do que eu mesma acho quase diariamente, quando não, é por causa da preguiça. tomo muito café e coca zero. apesar disso e de fumar meus dentes não são amarelos. não brigo com ninguém nem fico nervosa facilmente. não gosto de coisas salgadas, sal é quase que totalmente dispensável. sou um tanto disléxica e não sei quando tenho que usar s ou c. meu cabelo cresce muito rápido, mudo de cabelo a cada três meses e já tive quase todos os cortes de cabelos possíveis. sou indiferente à maioria das coisas, pessoas e situações. tenho mais afeto à pessoas inteligentes e folgadas porque sou inteligente e folgada também. nunca sentei para estudar na minha vida e nem sei como fazer isso. tenho uma facilidade quase irreal para desvendar pessoas, um simples encontro e já posso dizer os traços mais marcantes da personalidade de quase qualquer pessoa do mundo. alguns amigos abusam desse dote que eu tenho. eu sempre descubro o que eu quero descobrir, então, nunca minta para mim. eu minto muito para quase todo mundo, são sempre as mesmas mentiras para que eu não me contradiga porque eu esqueci o que eu disse. elejo algumas pessoas que decido que não mentirei e assim o faço, só para provar pra mim mesma que eu posso ser leal se eu quiser. não gosto da cultura popular e sou totalmente alheia a ela, bons fones de ouvido e ausência de tv fazem bem o papel de filtro de mediocridade das coisas que realmente importam. gosto de música erudita. eu sei fazer anéis com a fumaça do cigarro. não tenho memória, sou capaz de ouvir a mesma história algumas vezes, não me lembrar dela, e tecer os mesmos comentários no fim de cada uma, segundo meus amigos, porque eu realmente não me lembro de ter ouvido as histórias antes. e isso é basicamente tudo que você poderia querer saber de mim.

5 comentários:

Sabrineeee GanchooO!! disse...

Sabe... msm sabendo disso td eh mais um pouco sobre vc... ainda me surpreendo com vc!!
eu te amo Jô!

Ju disse...

É, acho que te conheço demais tb! hahahaha

E meu deus, aí no meio fiquei perdida se era vc ou outra pessoa, como vcs são iguais...

anyway

sodadis

Mariana N. disse...

hum
sei lá
acho que eu te conheço então.



lembrei da gente toda segunda feira passando na frente da igreja da brigadeiro e eu contando q meus avós casaram alí e toda vez vc fazia cara de surpresa...

aline disse...

hmmmmm

tudo o que eu não sabia, mulher das batatas!

- lorraine Trindade. disse...

ahahaha muito bom, adorei! :)