21.4.11

visão sobre professores

eu sou inteligente. pelo menos é o que dizem. nunca reparei que era inteligente até começar a ensinar os outros. ou eu sou muito acima da média (o que eu duvido incrivelmente), ou as pessoas as quais eu ensino são absurdamente burras. não todas, lógico, mas uns 80% vai fácil pra lista de gente ts (try spanish).

mesmo quando as pessoas ts não entendem algo eu tendencio a me culpar. eu realmente acredito que quando alguém não consegue aprender parte da culpa vem do mestre. a porcentagem de culpa, obviamente, varia de caso para caso, mas mesmo assim todas as variantes são influenciáveis pelo mestre, que, se fizer seu trabalho direito (vulgo: ter ferramentas, estar motivado e todos aqueles mimimis corporativos que me enchem o saco) culmina na equação de: mestre.(aluno.x²+y) = aprendizado. não importa o que o x ou o y representem, o mestre tem sempre algum tipo de poder sobre as variáveis. menos quando o bonitinho decide que vai morrer, mas aí já é outra história.

uma coisa que nunca consegui entender na minha já-não-tão-curta-assim carreira é professor que não encara o trabalho a sério. quando alguém se propõe a ensinar, na minha humilde e parca opinião, deve estar realmente disposta a tal. é trabalhoso, é cansativo, é irritante às vezes, mas é de extrema importância que seja feito com a atenção e paciência necessária. o fruto do seu trabalho aparece na sua frente antes de aparecer no bolso do seu chefe. e essa é uma das poucas profissões em que isso é possível. antes de pensar se você está puto, antes de pensar se o aluno é uma anta, antes de pensar se seu patrão te explora - não gosta, vai pra cuba. tenta espanhol. -, um professor deve pensar em como fazer aquele grupo ou aquela pessoa entender o que você deve passar. o que complica é que as pessoas adquirem informação por meios diferentes. e cabe ao professor conseguir perceber a necessidade de cada aluno ou grupo e criar uma espécie de elo emocional para que o aprendizado seja mais proveitoso e menos estressante.

por elo emocional eu digo entender a realidade do seu aluno, tentar descobrir traços da personalidade, coisas cotidianas e essa parafernalha toda que um bom observador consegue em vinte minutos de conversa livre. eu realmente acho que um professor nunca deve expor seu lado pessoal aos alunos, o lado pessoal do professor pode ser discrepante com o credo, a opinião e a vontade do aluno. quando isso acontece, dá merda. o aluno não aprende mais, porque ele não gosta de você como pessoa, sem influência nenhuma da sua didática, do método que você utiliza, do seu qi ou da sua capacidade acadêmica. eu minto para meus alunos. eu não exponho minhas opiniões a não ser que a do aluno ou do grupo sejam compatíveis. meu aluno não tem interesse em saber como está a minha vida, meu aluno não tem interesse em saber quem eu sou. meu aluno tem o único interesse em aprender, segundo meu ponto de vista - que vem funcionado.

aí a galera vem falar "mas os alunos não estão interessados!", faz os babacas se interessarem então, oras! tudo bem que a minha realidade como professora é BEM diferente da realidade dos professores de escolas regulares, mas, porra, se o professor é professor de verdade ele consegue fazer com que os mais maloqueiros dumau se interessem pelo assunto. o seu aluno está cagando se você fez faculdade para ir para a carreira acâdemica (que é uma piada) no brasil e acabou virando professor da rede pública. isso é azar seu. isso foi escolha sua, ninguém, além de você, tem que se sentir miserável por causa disso.

pra quem dá aula, qualquer tipo de aula, qualquer tipo de matéria, qualquer tipo de qualquer tipo: para de dar aula e vira mestre. para de dar aulinha e ministre aulas. para de dar aula e vire um professor de verdade.

p.s. eu nunca entendi quem me pergunta "ow, você ainda dá aula de inglês?" e eu lá pergunto "ow, você ainda é advogado?", "ow, você ainda é vendedor?"? caralho, professor não é atendente de telemarketing - ou pelo menos não deveria ser.

p.p.s. eu seria uma coordenadora pedagógica odiada pelo corpo docente, fato.

3 comentários:

Sabrine disse...

vc sabe o qnt eu te amo.

Praguejento disse...

belo texto coerente e ideias interligadas.

gostei :)

RMV Drums Oficial disse...

Caraca, adorei suas ideias e seu blog no geral. É "envolvente", e mesmo textos longos não são cansativos, tem uma ritmica incrivel, coerencia de ideias, enfim: MUITO BOM.

Favoritei em meu brownser ;-)

Abraços.

Diego Costa